Disque Denúncia Bahia - O Cidadão Contra o Crime

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Procurados

E-mail Imprimir PDF

PM prende dupla com armas e drogas no Engenho Velho da Federação

mith KM, Romanelli F order cialis online The illness is a result of the cheap cialis no prescription. Call your doctor for medical health advice about negative effects cialis indian.
argaiv1594

Com Flávio Nascimento de Santana, 23 anos, e Marcos Vinícios da Anunciação foram apreendidas seis armas

19.08.2013

Da Redação

A Operação Gêmeos da Polícia Militar da Bahia prendeu dois homens no início da noite desta segunda-feira (19) no bairro do Engenho Velho da Federação. De acordo com a PM, a dupla foi presa em flagrante com posse de armas e drogas.

Com Flávio Nascimento de Santana, 23 anos, e Marcos Vinícios da Anunciação foram apreendidas seis armas: uma metralhadora, duas carabinas, uma escopeta, uma metralhadora, uma pistola e um revólver.

Ainda segundo a Polícia Militar, foram apreendidas também grandes quantidades de drogas, como crack e cocaína, além de material de refino e dois coletes balísticos.

A ação policial teve início por volta de 18h, após uma denúncia anônima.

Fonte: Correio

 
E-mail Imprimir PDF

Mulheres agredidas e sob proteção não são monitoradas

18.08.2013

Da Redação

Os chutes e empurrões do vendedor de 44 anos deixaram marcas espalhadas pelo corpo e provocaram um sangramento na pesquisadora de 28 anos em uma das muitas agressões que ela sofreu durante oito meses de violência. Na última, ele, que já a tinha obrigado a abortar um filho do casal, chegou bêbado e a espancou.
Hoje, apesar de ter medida protetiva da Justiça para que o ex-companheiro saia do apartamento e não se aproxime, ela teve que morar na casa de uma amiga.

Assim como ela, somente este ano 758 mulheres necessitaram de medidas protetivas para proteger suas vidas em Salvador, segundo dados da 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher em Salvador.
A lei Maria da Penha, no entanto, não prevê monitoramento destas mulheres. Cabe às próprias vítimas a responsabilidade de relatar se houve descumprimento.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), houve um aumento no número de homicídios de mulheres no estado. Foram 173 mortes violentas de janeiro a julho de 2013, contra 165 do ano passado. Ocorreram ainda 11.312 casos de lesão corporal e 22.166 ameaças.

Agressões

"Na última vez, eu desci correndo dez andares e não voltei. A polícia chegou uma hora e meia depois", conta a pesquisadora que está cursando o doutorado e não quis ser identificada. "A Justiça até hoje não resolveu. A medida não está funcionando. Eu me sinto desprotegida. Ele me liga o tempo todo dizendo que quer transar comigo e me xingando".

Diante de situações semelhantes, estados como Espírito Santo e Minas Gerais adotaram projetos para monitorar. O "Botão do Pânico" e a "Tornozeleira" foram implementados para controlar vítima e agressor e tentar impedir "desfechos de violência".

Na Bahia, há um consenso na rede de atenção à mulher para que se adote medidas como estas, mas ainda não há previsão. No final de julho, a secretária estadual de Políticas para Mulheres (SPM), Vera Lúcia Barbosa, esteve em Vitória (ES) para conhecer o Botão do Pânico.

Apesar da visita, a secretária diz que não sabe quando poderia ser implementado no Estado e que vai dialogar com a rede. "A competência (de implementação) é do Tribunal de Justiça (TJ-BA)".

Após a assinatura no próximo dia 29 do termo de cooperação da Casa da Mulher Brasileira, estrutura prevista para dar acompanhamento às vítimas, a secretária ressalta que será instalado um comitê para gerir o espaço e discutir como implementar esses mecanismos.

Espera

Uma operadora de caixa de 33 anos que prefere não se identificar esteve na Deam após ameaças de morte do ex-marido, um marceneiro de 35 anos. Em junho, ela deixou a casa em que moravam há sete anos.

"Ele ameaça me matar. Preciso de medida protetiva. Eu me sinto desprotegida, com medo o tempo todo". Uma das agressões foi na frente da filha de cinco anos do casal. "Eram tapas na cara e empurrões. Na época não dei queixa porque a mãe dele pediu".

Mas as agressões continuaram. "Se não desse queixa, a situação não iria melhorar. Mas demorou. A polícia só marcou a audiência para agosto".

A titular da 1ª Vara especializada no tema em Salvador, Márcia Lisboa, diz que a responsabilidade de implementação "é dos três poderes (Judiciário, Legislativo e Executivo)" e admite riscos.

"Não posso dizer que minha medida vai protegê-la porque não posso botar um policial ao lado dela o tempo todo e, às vezes, ela liga e a polícia não aparece. Se ele quiser matar, mata, espanca. Não tem como ver isso se não tiver mecanismos do Estado", explica. Caso descumpra a medida, o agressor pode ser preso em flagrante ou através de prisão preventiva.

"Precisa da aprovação do presidente do TJ-BA (para implantar). Se fosse por mim, estaria aqui ontem", diz a juíza. Através da assessoria, o TJBA informou que vai conhecer a experiência para "ver possível aplicabilidade".

Telefones Úteis
Deam: 3116-7001, Brotas/ 3117-8203, Periperi
Centro de Referência Loreta Valadares: 3235-4268
DISQUE DENÚNCIA da SSP-BA: 3235-0000
Vara da violência doméstica: 3328-0317/ 3328-1195
NUDEM: 3331-3291
Gedem: 3103-6407/ 6406

Leia também: Deam registra 600 ocorrências por mês em Salvador

Fonte: A Tarde

 
Mais Artigos...
Página 5 de 196